Um destaque opinativo da atualidade, pensamentos de chuveiro e não só.

07
Out 15

Olá a todos,

Eleições em Portugal, o que reter?

Pessoalmente o que retenho destas ultimas batalhas eleitorais é que que sai vencedor é sempre a absenção, desta vez na propaganda dos media tambem existio o apelo ao voto em muitas vertentes com figuras publicas ligadas as artes e entretenimento a apelar à participação, de nada serviu. Ora o que se pede com estes resultados (desde á 8 anos que é assim), no meu humilde modo de ver é que se pense o porquê desta não participação cívica.

Ao pensar a fundo nessa questão paira me pela cabeça esta frase: 40 anos de democracia, 40 por cento de abstenção, isto até podia ser o slogan de campanha de todos os abstencionistas eheheh. Mas se analisarmos de uma forma factual até poderiamos encontrar razoes para isso, no meu entender as campanhas são demasiado propagandiosas no sentido de vender imagem como se de um produto se trata se (bom no fundo até é porque cada voto vale dinheiro para o partido), ora e obrigar  politicos a ir para a rua entregar os seus programas de governo em vez de papelinhos com caras e slogans que todos conhecemos?! Isto é uma, porque nem todos percebemos politica mas quase todos sabemos ler agora, assim talvez poderia não existir um sentimento de descredito em politicos porque todos saberiamos o que estava  mos a escolher, mas obviamente isso não convem porque existiriam medidas que nem todos concordariam ou aprovariam e isso poderia provocar mais indecisão ou o caos. Este sistema está bom para os actores politicos e economicos porque assim foi dada a voz a maioria dos "escravos" que habitam este pais, não foram porque não quiseram mas os resultados dizem que alguem ganhou portanto a legitimidade está lá, não admira assistir a discursos de vitoria com agradecimentos de quem se mobilizou para votar dando assim a sensação de que sim senhor os que foram escolheram nos os que não foram fossem. A minha opinião é que a maioria das filosofias em que acentam os partidos estão obsoletas ou são demasiado radicais contendo pouca humanidade nas mesmas recunheço que não deve ser facil governar para a milhões mas não percebo como não se pensa numa melhor filosofia de fazer politica e de dar confiança as pessoas sem medo economicos etc, e por isso que o poder está nas mãos de que domina a economia fazendo as caras que tao bem conhecemos governar para esses interesses e não para a população que sustem a economia. Bom quanto á abstenção e facil dizer o porque da frase acima referida me pairar na cabeça, eu analiso da seguinte forma, pode parecer bizarro mas tem a sua logica, ora se formos buscar dados demograficos do nosso pais verificamos que a piramide esta invertida ou quase isto é existem mais pessoas de idades avançadas do que jovens, e não deve ser só apenas no nosso pais creio, isto para dizer que se os mais velhos que acompanharam 40 anos de demos a ver os mesmos actores politicos a saber de esquemas e manhosisses por muitos praticadas, não acreditam em nenhum e passam essa palavra ao seus mais novos que depois de verem ou lerem sobre politica verificam que é muito mais interessante beber uns copos, dançar kizomba e ver a bola do que ter opinião sobre que lhes vai gamar dinheiro para o resto das suas vidas(isto para aqueles que não emigraram claro),e é por isso que a segurança social é um tema tão quente visto estar insustentavel para os liberalistas europeus de direita que querem dar o dinheiro ao bancos para eles terem mais para brincar e não se saber se devolvem quando chegar a altura e um problema para os socialistas economicos de esquerda.

Resumindo a abstenção reina e as pessoas vão sobrevivendo atropelando se umas as outras se necessário.

Por Diligente às 15:16

Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
24

25
26
27
28
29
30


Pesquisa
 
subscrever feeds
arquivos
2017

2016

2015

Mensagens
Sobre mim
posts recentes

Portugal à Frente