Um destaque opinativo da atualidade, pensamentos de chuveiro e não só.

08
Fev 15

Olá a todos.

O tema é polémico e muita tinta vai fazer correr porque é precisamente por, e, para isso que Paula Teixeira da Cruz puxou este tema à discussão, pronto já quase, se não mesmo todos sabem o que quero destacar hoje, a entrevista dada pela Srª Ministra na TSF. Obviamente não podia deixar este tema passar incolme no sinopse, tinha que deixar a minha concepção acerca deste assunto.

 

Bom isto pode ser analisado de várias formas mas a minha visão das coisas é muito simples, em primeiro lugar a Ministra concebeu mal a ideia de alguém comprar estupfacientes nas farmácias, isto porque pode ser discriminatório para quem adquire este produto, embora entenda esta discussão ser prematura e veja estas declaraçoes, como uma forma de iniciar a discussão social sobre o assunto, como aliás já referi, também entendo e bem o o porque da ministra dizer para que seja adquirida numa farmácia uma vez que o consumidor é considerado doente na nossa legislação, é de lembrar que esta medida foi pioneira no mundo, se não estou em erro. Em segundo lugar para além de trazer o assunto à discussão publica, uma medida assim pode de facto tirar alguns votos à esquerda uma vez que e, se não me engano mais uma vez, principalmente ao BE porque creio ser ou ter existido propostas neste sentido do referido partido, não sei se existem preocupações nesse sentido mas que é também uma hipotese a referir é. O PCP até já reagiu a estas declarações apelidando as mesmas de precipitadas, não concordo esta discussão tem que existir, se o momento é importuno para alguns, que seja ainda assim é um começo. Se os partidos do poder querem desviar a atenção de outros assuntos mais importantes para perder ou ganhar votos nas eleições de outono não sei, e até tendo em conta alguma da colagem do PS a medidas do siryza, é natural que a direita actue de forma mais "defensiva" digamos assim. Ora dito isto, a minha opinião pessoal sobre este assunto ainda não está totalmente formada mas concordo quando a ministra diz que se for legalizado a venda, isso irá tirar processos aos tribunais. O que é dificil para mim conceber é que apenas seja legal a compra e que o consumo não seja regulamentado para que isso aconteça têm que ser ambos a ser legalizados e regulamentados, e é aqui que fica a minha duvida, quanto á forma de adquirir e consumir se deverá ser como na Holanda com ou de oura forma porque na farmácia (pelo menos para mim) não faz sentido nenhum, aliás considero essa situação completamente absurda a menos que seja para consumir por motivos de alivio de alguma maleita como é feito nos em alguns estados nos EUA, isto é interessante uma vez que já vi um documentário em que existiam casos de fraude de prescrição de receitas nos EUA por causa desta medida. Sinceramente não me ocorre nenhuma forma mais digna e livre de adquirir e consumir reguladamente como a que é praticada nos Paises Baixos. Espero que esta discussão não fique agora em águas de bacalhau como dizemos por cá.

 

Por Diligente às 16:05

Fevereiro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
21

22
23
24
25
26
27
28


Pesquisa
 
arquivos
2017

2016

2015

Mensagens
Sobre mim